Quando você é carente de atenção, por exemplo, ficará exigindo que o outro te dê atenção constantemente. O dia que o outro falhar, sem querer, se sentirá frustrada, rejeitada ou abandonada. Poderá sentir raiva daquilo que o outro escolheu fazer no lugar de lhe dar atenção. Pode ser que seja o trabalho, os amigos, os clientes, o celular, o futebol… Tenderá a culpar o outro pelo comportamento errado. Mas, na verdade, quem está errada é você mesma! Essa carência emocional não foi curada, não foi tratada ainda. A culpa não é do seu parceiro ter agido errado, não é dos amigos que o chamaram para jogar futebol, não é do trabalho que requer muito tempo. Na verdade, ele agiu certo, não ouvindo as suas exigências equivocadas e ter feito o que ele realmente tinha vontade de fazer. Você não está com raiva com o que o outro fez, você está com raiva de si mesma! Está cansada de sentir raiva, mágoa, tristeza… sempre quando isso acontece e não sabe como resolver ou curar isso. Esses sentimentos estão dentro de você, e não no outro. Essa dependência emocional consome o seu tempo e energia. Por outro lado, se não houvesse essa carência, não iria ter atitudes para chamar a atenção dele, não se estressaria com as coisas que ele faz, não se importaria tanto se ele faz as coisas do jeito certo ou errado (na sua concepção) e seria menos uma fonte de conflito. Dessa forma, manteria seu humor equilibrado, não abaixaria sua frequência, seu corpo não liberaria hormônios do estresse e continuaria em paz. Ser saudável não é apenas praticar exercícios físicos, comer comidas light, assistir vídeos para dar risada e ser simpático com todos, é, também, cuidar das questões emocionais internas, vencer os maiores medos, transmutar as dores da alma.

Paula Teshima