Quando não conseguimos resolver nossos problemas pessoais e isso se torna um fardo em nossas vidas, tendemos a desviar nossa atenção focando em outras atividades. Muitas pessoas se ocupam demais com o trabalho, gastam muito tempo e energia com as tarefas que o trabalho requer e acaba não sobrando tempo para resolver as suas pendências pessoais.

Lidar e solucionar com os problemas dos outros é muito mais fácil do que ter que lidar com si mesmo, porque nosso lado emocional não é aflorado. Todos os sentimentos de dor, raiva, frustração, rancor, desespero, medo, perda… são despertados nos outros. Permanecemos no modo racional, enxergando as situações muito mais com a razão e a lógica do que com o lado sentimental.

Quem não possui conhecimentos adequados de inteligência emocional acaba sempre desviando desses assuntos e focando no mundo exterior. O problema em si já é difícil de resolver, ainda mais quando é despertado uma avalanche de emoções negativas em que a pessoa não sabe como lidar de uma maneira sensata, harmoniosa e positiva. Ficamos viciados em algo que nos dá um certo prazer – comidas, jogos, cigarro, trabalho, sexo, bebidas, drogas, celular, filmes… com o intuito de esquecer ou encobrir as dores da alma.

Dessa forma, o tempo vai passando, os problemas vão se acumulando, as dores no corpo começam a surgir… e vamos aonde? Tentar resolver a situação nos especialistas que lidam com o corpo físico – médicos, fisioterapeutas, personal trainer… sendo que a causa disso tudo está no emocional, mental ou espiritual não resolvido, não tratado, não investigado. Receberemos uma receita com um medicamento para tentar ajudar o problema, ou um programa de exercícios físicos, mas isto só atua no físico, controlando ou mascarando a dor e a doença que já se instalou no corpo físico. Na pior das hipóteses, poderá ser indicado uma cirurgia na qual poderá proporcionar uma melhora sim, mas se não for identificado a origem exata da questão emocional, isso irá migrar para outras áreas ou órgãos do corpo e surgir novos desconfortos.

Os médicos ocidentais são os profissionais mais frustrados da atualidade porque não conseguem curar de verdade as pessoas. Apenas amenizam, ocultam e criam uma dependência química e financeira… iludindo e manipulando as pessoas com uma pílula salvadora. Não importa se custará caro, apenas querem uma solução rápida, fácil e prática para poderem continuar com os mesmos hábitos do dia a dia.

A verdade é que ninguém quer mudar sua rotina. Ninguém quer parar de comer a pizza no final de semana, praticar exercícios de respiração consciente para desacelerar a mente, gastar seu tempo precioso na academia, deixar de assistir o próximo episódio da série favorita, tomar sol todos os dias… Ou você muda pelo amor – começando a fazer coisas que não te agrada muito; ou você muda pela dor – a dor irá te forçar a rever seus conceitos na marra.

Paula Teshima