Muitas vezes possuímos certos desejos e acreditamos que isso nos fará bem, felizes e satisfeitos. No entanto, podemos confundir os desejos que vem da nossa alma dos desejos que vem do nosso ego. Se aquilo que deseja for um prazer fútil, passageiro, sem valor de crescimento e melhoria para seu ser, significa que é um desejo do ego. Mas se for algo que pode não lhe dar tanto prazer (para o ego), mas irá transbordar de alegria a sua alma… pois trará um aprendizado, uma experiência nova de alto valor, algo que enriquecerá a sua jornada… aí sim, aposte que isso realmente lhe fará muito bem.

Para distinguir se o desejo vem do ego ou da alma, é preciso muito autoconhecimento, muita intuição e conexão com a sua essência. Você saberá quando apostar as fichas e quando frear seus impulsos. Uma dica simples é aguardar uma semana após ter o seu desejo. Se após esse período você ainda estiver muito afim disso, pode significar que é algo importante. Mas, se mesmo assim, você tentar e não der muito certo, leve isso como uma experiência e aprendizado. Nada é perdido. Certamente algo foi vivenciado. Um erro só é um erro quando você não transforma em aprendizado e sabedoria.

Paula Teshima