As pessoas estão na nossa vida para nos ajudar no nosso processo de evolução da alma. Elas nos ajudam a identificar onde estão os nossos pontos fracos, nossas carências e emoções não curadas. Na verdade, elas refletem o que possuímos em nosso interior, e que muitas vezes não queremos encarar nem expor aos outros. Preferimos ignorar, rejeitar, encobrir… porque é muito doloroso para o ego admitir certas falhas, erros e defeitos da nossa personalidade. Então atraímos certas pessoas que têm o potencial de nos revelar o que está guardado a sete chaves lá no fundo do nosso ser. Elas nos tiram do sério, nos irritam, nos magoam, nos enganam, nos iludem… e nos sentimos mal porque temos esses sentimentos mal resolvidos, não curados, não trabalhados. As pessoas do seu convívio são o reflexo do ser. Se você não reconhece alguma característica que vê no outro como sua também pode ser que hoje, nesta vida, você não tenha mais, mas em outras vidas você possuía e está relacionado com esta pessoa, por isso que ela está em sua vida. Há ainda uma ligação energética com essa pessoa. É um karma a ser resgatado por ambos. E hoje você está sendo o professor para o outro. A chave para a felicidade, paz de espírito e plenitude está em transmutar essas energias negativas em energias mais leves, positivas e sutis. Dessa forma, não iremos mais nos sentirmos mal naquelas situações que antes nos desequilibrava e abaixava a nossa frequência. Agradeça às pessoas presentes na sua vida porque elas têm o papel de serem excelentes professoras que te ensinam lições importantes para a sua jornada.

Paula Teshima